O surto do novo coronavírus levou a que o futebol português fosse colocado em suspenso, mas tal não significa que o FC Porto tenha colocado em 'stand by' a preparação da próxima temporada, na qual o ataque poderá vir a conhecer severas alterações.



Segundo escreve, esta segunda-feira, o jornal A Bola, neste momento, só Fábio Silva e Zé Luís têm continuidade garantida, uma vez que os contratos de Tiquinho Soares, Moussa Marega e Vincent Aboubakar terminam já em junho de 2021.


Nesse sentido, a direção liderada por Pinto da Costa já decidiu que, caso não seja possível encerrar as respetivas renovações nos próximos meses, a decisão passará por vender os jogadores, de forma a evitar perdê-los a 'custo zero'.


O brasileiro e o maliano contam com diversos interessados, assim como o camaronês, ainda que, neste caso, o mercado se restrinja mais a Turquia e França, países no qual já autou em temporadas transatas, e nos quais deixou boas indicações.


Esta é, de resto, uma das fórmulas encontradas para equilibras as contas azuis e brancas, que conheceram um valente 'rombo' com o não apuramento para a fase de grupos da Liga dos Campeões, e que obrigam a faturar mais de 100 milhões de euros num futuro próximo.







Fonte: Noticias ao Minuto

Deixe seu Comentário