A afirmação pertence ao ministro da Administração Interna, que lembrou que o "risco desta pandemia é igual nas cidades, no campo, nas aldeias, nas grandes cidades". Até às 20h00 desta terça-feira registaram-se "27 detenções" por violação das regras definidas. Além de "274 estabelecimentos" que foram encerrados por violarem a obrigação de suspensão da atividade.

O ministro da Administração Interna fez um balanço, na noite desta terça-feira, da atividade das forças de segurança na fiscalização das medidas que entraram em vigor às 00h00 de domingo no âmbito do Estado de Emergência.



Começando por destacar que a "adesão" e o "respeito" dos portugueses ao isolamento social tem sido uma prática "generalizada", o ministro lamentou que também tenha sido verificada "a prática de um conjunto de comportamentos que devem ser entendidos como absolutamente inaceitáveis".


"A realização de atividades físicas e caminhadas, que são incentivadas, devem ser feitas na área de residência, não se justifica de modo algum a deslocação em viatura automóvel para áreas de prática de passeio, sobretudo quando tal decorre em área onde facilmente se verifica a concentração de um número elevado de pessoas" afirmou.


"O risco desta pandemia é igual nas cidades, no campo, nas aldeias, nas vilas. Por isso, o risco de ter um ajuntamento à porta de um estabelecimento de uma grande cidade ou em torno de um pequeno café de aldeia é exactamente o mesmo".


Lembrando que "as regras sobre o encerramento de atividade" e sobre "a limitação da atividade ao fornecimento de comidas para fora - take away - ou entrega ao domicílio é absoluta", o ministro reforçou que "não pode neste quadro ser admitido o ajuntamento para consumo de bebidas alcoolicas junto à entrada de estabelecimentos que estão alegadamente exclusivamente a fornecer alimentos para fora"


Após estes avisos, Eduardo Cabrita anunciou que as forças de segurança, que "têm promovido uma ação essencialmente pedagógica" e de sensibilização e responsabilização dos cidadãos", registaram-se até às 20h00 desta terça-feira "27 detenções por violação das regras definidas ou para o isolamento pessoal ou pelo não acatamento reiterado das recomendações feitas pelas forças de segurança".


Além disso, acrescentou, "274 estabelecimentos foram encerrados por estarem a violar a obrigação de suspensão de atividade a não ser no quadro restrito de funcionamento previsto no decreto que põe em execução o regime de Estado de Emergência".


Quanto ao controlo de fronteiras, o ministro da Administração Interna disse que a ação de Portugal e Espanha foi referida como "um exemplo" na reunião desta terça-feira, por videoconferência, com os homólogos europeus, pela forma como ambos os países "têm garantido a circulação de mercadorias nas suas fronteiras terrestres (...) permitindo uma grande fluidez nos circuitos económicos, que assentam no transporte de mercadorias".





Fonte: Noticias ao Minuto

Deixe seu Comentário